Noites Baianas – Primeira Edição.

Este ano estamos descobrindo e desbravando novos caminhos no que diz respeito a produção independente. Fizemos um primeiro aquecimento para o Feira Noise que foi muito bem conduzido e ocorreu tudo bem. Então fomos mais ousados, fizemos o Noites Baianas, evento em parceria com Coletivo Capivara de Camaçari. Um evento ocorrendo em duas cidades na mesma semana, movimentando 10 atrações baianas com intuito de fortalecer as coisas no interior, e fortalecer o elo com a capital. Foi uma ótima experiência, Camaçari foi muito bem, e os detalhes do evento iremos postar logo após, com fotos e resenha do que aconteceu por lá. Aqui em Feira as coisas também supriram nossas expectativas. Aos poucos estamos começando a acostumar ao público com o horário e a pontualidade. O evento começou as 19:30, como planejado pela produção. A primeira banda a se apresentar foi a Doctor Dance, que compareceu a tarde para passagem de som num clima agradável e bem divertido, às 19:30 a banda estava no palco pronta para começar o show, era a segunda apresentação do grupo composto por PV (Guitarra e Voz) Vinny (Guitarra e Voz) Ikaru (baixo) e Alan (Bateria). Acho que a banda não só surpreenderam a mim, todos os que foram pontuais assim como nós ficaram surpresos com o groove da banda, guitarras nervosíssimas, destilando rocknroll no Botekin. Confesso que não acreditava que o som da banda era assim como eles descreviam, pura influenciam de Hellacopters e Forgotten boys, e não é que eles tinham razão? Claro que tocaram covers das bandas citadas mas as composições das bandas seguem a mesma sonoridade e fiquei muito feliz por ver a Doctor Dance, uma banda nova e já se portando como veteranos, se bem que PV foi guitarrista do Clube de Patifes por 1 ano, Vinny já esteve em outros projetos, como a Norah, Ikaru também, mas cada um estava em ambientes musicais diferentes e de repente juntos estão funcionando muito bem, fazendo rocknroll, pesado e de muita qualidade, e fiquei orgulhoso de ver a banda assim no palco, fazendo seu som como toda banda deveria fazer, com muita competência e esmero, parabéns a Doctor Dance, banda que já faz parte do Feira Coletivo e é com muito orgulho mais um ótimo nome do rock feirense. A banda que veio a seguir foi a Inventura de Alagoinhas,o público chegava aos poucos e quem chegava naquele momento era surpreendido
por uma excelente banda no palco, Inventura foi uma grata surpresa da noite, power trio no melhor sentido da palavra, fazendo um rock poderoso, vibrante com excelente performance de Paulo e Lucas, Guitarra e Baixo respectivamente, que surpreenderam com as canções da banda e que tirou o público de onde estivesse para frente do palco quando começou os primeiros acordes de Last Nite dos Strokes, a banda encerrou sua apresentação pontualmente dando lugar a Pessoas Invisíveis que acabavam de chegar de Salvador e foram direto para o palco, a banda foi uma das melhores da noite, ouso dizer que foi a melhor apresentação,

muita energia no palco, acho que todos, assim como eu via o quarteto ao vivo pela primeira vez,  guitarras pesadas e um baterista inacreditavelmente bom não deixava que nossa atenção do palco fosse desviado para outra coisa. Fizeram um show calcado no primeiro disco, alguns covers como Foo Fighters e Queen of  the Stone Age, mas ainda tivemos o privilégio de ouvir algumas composições novas que irão fazer parte do próximo trabalho da banda. Enquanto o show prosseguia, muita gente virava para mim dizendo: “que banda du caralho!” e com aquele olhar que pergunta, “quando eles voltam?”. Quando achávamos que a noite já podia acabar depois da ótima apresentação de Pessoas Invisíveis, veio a Chá de Abu, dando um outro tom à festa e agradando em cheio ao público do Botekin, a influência de Los



Hermanos é inegável, mas a banda tem uma identidade forte, marcada por estilos diversos, MPB, Samba, Rock, Pop, tudo junto, a banda não bebeu no som dos Los Hermanos mas na mesma fonte que a trupe de Marcelo Camelo. Todas as faixas do recém lançado EP “Nosso” foram executadas ao vivo, Dia Santo ficou ótima, mas sou suspeito pra falar, é minha música preferida da Chá de Abu, a banda teve alguns problemas técnicos mas não foi percebido pelo público e não comprometeu em nada a bela apresentação, e os feirenses deram de cara com mais uma excelente banda do cenário baiano, aliás Noites Baianas, edição Feira, foi uma noite de descobertas mesmo, o público que não tem medo do novo saiu contente por ter visto ao vivo ótimas bandas e que ainda não tinham tido o privilégio de ver ao vivo. Mas voltando, meia-noite a Chá de Abu encerrou sua apresentação, agora era a vez de Sonnora! que não pode se apresentar mais cedo, a banda já




ta tocando juntos a uns 2 anos, e estar com disco novo pronto pra ser lançado, o show da Noites Baianas seria um pré-lançamento do disco mas banda ficou presa a uma apresentação recheada de covers e deixou de lado seu trabalho autoral, o que foi uma pena, tocaram de Capital Inicial a Tomate, passando por Reginaldo Rossi, Cazuza e mais um monte de nomes que compõe a cena pop nacional, mas faltou uma coisa, faltou Sonnora! Talvez a banda tenha optado pelos covers por seu guitarrista não ter como se apresentar no dia, foi substituído por Jorginho que deu seu recado como se tocasse na banda a anos, o que sei é que a banda deveria ter priorizado seu repertório como todas as outras apresentações fizeram, divulgar seu trabalho, mas foi uma opção do grupo. Era pouco mais de 1:30 da manhã quando encerramos a Primeira Edição das Noites Baianas, com um saldo positivo, mais um evento do Coletivo feito com muitas dificuldades mas realizado com sucesso, a próxima edição virá em breve e com mais cidades do interior participando, vamo que vamos!

CONFIRAM TODAS AS FOTOS AQUI!


Por Joilson Santos

0 comentários:

Postar um comentário