Compacto.Rec lança a banda baiana OS BARCOS











O primeiro lançamento do Compacto.Rec em 2011 é a banda Os Barcos, de Vitória da Conquista - Bahia. Eles vêm embalados pela Tour Fora do Eixo intitulada “Novíssimos baianos”, a qual realizaram em dezembro de 2010, passando por importantes cidades de cinco estados do nordeste brasileiro no lançamento de seu  primeiro álbum. O disco sai agora em versão virtual com músicas, letras, release, fotos, vídeo e banners, através do Compacto.Rec, trazendo o que a Bahia tem de melhor e mais promissor. 

O Compacto.Rec

O Compacto.Rec é um projeto de lançamento de compactos virtuais com o objetivo de estimular a difusão e distribuição de artistas e grupos atuantes na música independente no Brasil e América Latina.
O projeto é uma realização do Circuito Fora do Eixo, uma rede de trabalhos colaborativos concebida por produtores culturais das regiões centro-oeste, norte e sul no final de 2005. A rede se expandiu e conecta hoje mais de 65 coletivos em 26 estados do Brasil, tendo como principal característica a democratização da tecnologia desenvolvida, pautando suas ações por princípios de economia solidária.

O Compacto teve início em 2007, lançando bandas como Filomedusa e Bang Bang Babies e disponibilizando outros 5 discos na rede. Em 2009, passou a lançar também álbuns completos, gerando um total de mais de vinte mil downloads no ano. Bandas nacionalmente renomadas como a Porcas Borboletas (MG) e o rapper Linha Dura (MT) foram destaques nesse ano. Já em 2010 o projeto deu abertura para bandas novas, porém que apresentavam grande potencial de circulação, como a goiana Johnny Suxxx And the Fucking Boys, a paranaense Nevilton e a Coletânea Grito Rock 2010, que compilou gravações ao vivo (bootlegs) de artistas que circularam durante o festival. Ainda em 2010 o Compacto.Rec fez seu primeiro lançamento internacional, com o álbum “YYY” da banda argentina Falsos Conejos.

A Banda

O nome Os Barcos vem de uma alusão a um escrito de Fernando Pessoa a partir de uma antiga frase dos navegantes: "Navegar é Preciso; Viver não é preciso", na qual Pessoa escreve que "Viver não é necessário; o que é necessário é criar". Sendo assim, cada componente da banda é entendido como um barco em meio ao caos navegando em busca de um anti-adoecimento, uma espécie de movimento poético de linhas de fuga.

A banda vem atravessando seu melhor momento até então, realizando apresentações importantes pelo nordeste, participando de coletâneas musicais de alcance nacional e festivais. Em 2010, foi selecionada no edital da Conexão Vivo para se apresentar no Teatro Castro Alves (Sala do Coro) em Salvador, originando o primeiro material áudio-visual.

O Disco

Os Barcos lançam o seu primeiro CD com 12 canções autorais. As letras das músicas trazem conteúdos ora poéticos, ora existenciais, bem como encontros e relações do cotidiano que permitem de maneira simples e direta a expressão dos sentimentos. Trechos como “Homem feito de firmeza e mulher”, “Descartar as previsões, sincronizar dois corações”, “Dissolvendo a tristeza e de amor se torna mulher”, “Pra que esperar alguém que lhe convém?” dão um idéia de como são trabalhadas as letras nesse primeiro CD. As melodias e harmonias buscam compor uma sonoridade que transita pelas produções musicais dos anos 60 e se misturam com a musicalidade atual, buscando dessa maneira, formar um som característico da banda. As músicas sofrem direta e indiretamente influências dos Beatles, The Doors e Los Hermanos, além do Jazz/Rock. 


0 comentários:

Postar um comentário