Tarde de Jazz: pela celebração da arte


Jazz é um estilo musical freqüentemente associado ao improviso, à sofisticação e à versatilidade. A Tarde de Jazz, que acontecerá no dia 30 de julho no Museu de Arte Contemporânea Raimundo Oliveira (MAC-FSA), pretende trazer para o universo cultural feirense estes conceitos.

O evento Tarde de Jazz é a união de esforços de três projetos artísticos que estão despontando na cidade, nas áreas de música, literatura e cinema. São eles: Coletivo C9, Coleção Nova Letra e Inovacine, respectivamente. Essa união de linguagens artísticas a princípio diversas fará do evento Tarde de Jazz algo versátil e amplo, que contará com exibição de filmes, recitais de poesia e jam sessions de músicos convidados, numa grande celebração pela arte.

O Tarde de Jazz conta com o patrocínio da H Marinho Empreendimentos, Earte, Ultra Informática, Pink Floyd Instrumentos Musicais e Studios Remix.

PROGRAMAÇÃO:
Exibição do documentário Let’s Get Lost, sobre a vida e a obra do jazzista americano Chet Baker.
Recital de poesia com Ederval Fernandes e convidados.
Exposição de instrumentos musicais exóticos.
Jam Session com músicos de jazz da cidade, tendo como base a C9 Jam Band.

Dia: 30 de Julho de 2011 (Sábado).
Hora: 15:00
Local: Museu de Arte Contemporânea Raimundo Oliveira (MAC/FSA)
Endereço: Rua Germiniano Costa, 255.
Entrada: Gratuita.

Vandaluz mostra espetáculo único no Under Tribus


O grupo Vandaluz surgiu em Patos de Minas (MG) impulsionado pelo desejo de livre expressão, produzindo um rock performático repleto de psicodelia e influências setentistas da música popular brasileira. Desde quando foi lançado o primeiro álbum de estúdio, intitulado Ascende (2007), são muitas as participações em festivais importantes, como as edições do Grito Rock realizadas em Belo Horizonte, Uberlândia, Itabirito, Cuiabá, Brasília, Poços de Caldas, São Carlos e a própria cidade natal.
Em 2011, a banda dá continuidade ao ritmo de shows ao se lançar em uma turnê chamada “Afago a Fogo”. A excursão começa em território local e passa por dez municípios nordestinos – incluindo Feira de Santana, onde o espetáculo poético, musical e teatral promete fazer sucesso com seu estilo diversificado e de linguagens convergentes. Ouvir o que fica disponível no MySpace, por exemplo, certamente não é garantia de conhecer as dimensões da apresentação ao vivo.

Em meio à boa quantidade de canções autorais, “Lucidez” (para a qual foi gravado um videoclipe recentemente) e “Teoria” costumam atrair as plateias à proporção que representam a mistura dos mineiros. Algumas das características mais perceptíveis estão nos versos pouco usuais, vocais propositalmente desregrados, instrumental atualizado e ao mesmo tempo saudosista, ou seja, em processo de releitura.
Vandaluz é formado por Lucas de Paula (guitarra e vocal), Cassim Amperes (voz e gaita), Vane Pimentel (voz e poemas), Alan Delay (baixo) e Ciro Nunes (bateria, flauta, samplers e vocal). Sem abrir mão de uma atitude poética nos palcos, muito menos da musicalidade que independe do lado visual, o quinteto avesso a rótulos se apresenta na segunda edição do Under Tribus, marcada para o dia 24 de julho, às 17h, no Botekim Tematic Bar. Ao que tudo indica, será uma experiência única.

Texto por Ana Clara Teixeira – Feira Coletivo Cultural

UNDER TRIBUS 2 TÁ CHEGANDO!


Dia 24 de julho (domingo) acontecerá a segunda edição do Under Tribus, a mistura inusitada que virou sucesso. Dança, Música, Poesia e Artes Visuais vão se encontrar no mesmo palco, animando o domingo.
Realizado pela Trupe Mandhala Fusion, grupo experimental de Dança Étnica Contemporânea e pelo Feira Coletivo Cultural, o Under Tribus faz parte do Projeto Impulso, que visa demonstrar como a dança pode interagir com diversas formas de expressão artística.

Programação

Bandas
Casa de Vento (Feira de Santana)
Lunata (Salvador)
Vandaluz (Minas Gerais)

Dança
Trupe Mandhala Fusion - Dança Étnica Contemporânea
Academia Arte de Dançar - Ballet Moderno
Jefi Akenaton - Funceb - Dança Contemporânea
João Victor - Dança Afro
Shanna Lobo - Fusões
Bruno Lil Rox - Street Dance
Grupo Urban Style - Street Dance

E mais
Exibição de Curtas com Márcio Junqueira
Recital Poético Coleção Nova Letra - Ederval Fernandes
Expositores: Leiti Kitai Ateliê Tribal | Banquinha Fora do Eixo
UNDER TRIBUS
Dia 24/07/11 | 17 horas | Botekim Tematic Bar – Av. João Durval Carneiro
Ingresso: R$ 10,00 (Loja Dance Shopping das Fábricas, Botekim e com a Trupe Mandhala)

LÍVIA FERREIRA , VOZ DA BANDA NEOLOGIA LHE CONVIDA PARA O UNDER TRIBUS

Banda Casa de Vento segue para mais uma apresentação de o sucesso

Quase um ano depois daquela apresentação de estreia no Feira Noise Festival 2010, a Casa de Vento é uma banda pronta em todos os aspectos. Esse crescimento tão rápido se deu graças a uma série de fatores que inclui a qualidade das canções e a experiência de palco adquirida com um número de shows acima da média do cenário local. No entanto, o principal trunfo deve-se ao estilo indie rock bem delimitado, cujos caminhos os integrantes parecem dominar sem dificuldades.

É natural ouvir as músicas do EP homônimo recém-lançado e associá-las a uma tradição britânica que vai do pós-punk ao cenário atual, além de passar pelo britpop. De The Smiths a Coldplay, de Radiohead a Snow Patrol, as maiores influências são facilmente listadas e englobam também outros contextos, a partir de R.E.M., Los Hermanos e Violins, dentre outros nomes. Não por acaso os covers são parte fundamental das apresentações ao vivo, uma vez que a Casa de Vento não se preocupa em esconder suas fontes de inspiração.

Antes de procurar ser basicamente original, o grupo formado por Josh (vocal), Esteves (teclado), Filipe (baixo), Cordeiro (guitarra) e Marcelo Miranda (bateria) busca a eficiência no que se propõe. O resultado disso são as competentes “O Mistério das Cinco Estrelas”, “A Revolução dos Bichos” e “Esperando por Godot”, somente citando algumas composições capazes de agradar um público segmentado e preencher os requisitos de um bom rock alternativo cantado em português. O vocal impressiona pela maturidade e nunca deixa a desejar, sendo bastante adequado à linha em questão.

O fato é que quase nada há mais a ser dito sobre a Casa de Vento, a não ser destacar seus méritos já conhecidos por muitos. E no dia 24 de julho, a propósito, todos terão a chance de ver e rever esses músicos na segunda edição do Under Tribus, promovido pela Trupe Mandhala Fusion e pelo Feira Coletivo Cultural junto ao Circuito Fora do Eixo. O evento deve começar às 17h e será realizado no Botekim Tematic Bar, ainda com a presença das bandas Lunata (Salvador) e Vandaluz (Patos de Minas – MG).

Texto – Ana Clara Teixeira – Feira Coletivo Cultural



1º FÓRUM MUNICIPAL DE CULTURA DE FEIRA DE SANTANA

(Quarta - Feira 27 de julho de 2011)

O FÓRUM MUNICIPAL DE CULTURA DE FEIRA DE SANTANA é um instrumento para a consolidação do diálogo entre os diferentes setores do meio artístico e sócio-cultural, onde se reúnem agentes culturais e trabalhadores da cultura e representantes do poder público da cidade, que focaliza, de maneira especial, a relação da cultura com o desenvolvimento da sociedade, prioriza o debate e a proposição de políticas públicas culturais aos gestores do município.

O Fórum é um plenário democrático e participativo, acima de distinções religiosas, étnicas, ideológicas ou partidárias, no apoio ao Conselho Municipal de Cultura e de outras instâncias governamentais e auxiliar no processo de construção do Plano Municipal de Cultura, a caminho da consolidação do Sistema Municipal de Cultura da cidade, que só trará benefícios para todos, sociedade e governo.

O evento é aberto à participação de todos que querem discutir propostas para a política cultural dos próximos 10 anos, e que querem compreender a importância das linguagens artísticas, as expressões culturais, em suas dimensões: territorial, simbólica, econômica e cidadã, como fator essencial para a aceitação da diversidade cultural e novo motor do desenvolvimento sócio-cultural das cidades com sustentabilidade.

O convite é para: agentes culturais, gestores, artistas grupos artísticos, cantores, dançarinos, atores, historiadores, teatrólogos, poetas, professores, pesquisadores, políticos, representante de quadrilhas juninas, de bandas marciais, coletivos, empresários da área, técnicos, associações, sindicatos, grupos étnicos, de gênero e a sociedade em geral.

Participam ainda do Fórum, o Prefeito Tarcízio Pimenta, o Secretário de Cultura, Euclides Artur, O Presidente da Fundação Cultural Municipal Augusto César Orrico, o Conselho Municipal de Cultura e demais instituições co-gestoras. Teremos ainda a presença do Consultor de Cultura Igor Almeida, que fará uma palestra sobre a importância do município criar o Plano Municipal de Cultura, como estratégia para consolidação do desenvolvimento sócio-cultural.

O Fórum Municipal de Cultura será realizado no dia 27 de julho de 2011, nas dependências do Centro de Cultura Maestro Miro, da Fundação Cultural Municipal Egberto Costa.

EIXOS TEMÁTICOS:

1 - Diagnosticar os principais problemas e identificar as potencialidades culturais referentes à Feira de Santana (situação atual);

2 - Propostas e sugestões de projetos para políticas públicas de cultura do município para (situação futura);

3 – Compreensão da dimensão territorial, simbólica, econômica e cidadã da cultura;

4 - Estratégias de atuação dos diversos setores da sociedade e do poder público para construção do Plano Municipal de Cultura;

5 – Propostas de formação das Câmaras Setoriais das linguagens e expressões culturais e planos anuais de atuação.

PROGRAMAÇÃO:

8:30h - Credenciamento

9:30h – Abertura do I Fórum Municipal de Cultura (apresentação da composição da mesa);

9:40h – Fala do mediador: ordem para as discussões das propostas e resumo da atuação do Conselho de Cultura

10:30hPalestra: “O que é Plano Municipal de Cultura”, com Hygor Almeida;

11h – Apresentação e leitura da Minuta do Fundo Municipal de Cultura;

11:20h – Plenária com o Conselho Municipal de Cultura (perguntas e respostas)

13h - Intervalo para o almoço;

14:30h – Formação dos Grupos de Trabalho (GT´s)

15h – Discussão dos Eixos Temáticos nas salas específicas;

17h – Apresentação na Plenária das propostas dos Eixos Temáticos;

18h – Encerramento

3ª Edição das Noites Fora do Eixo em Feira de Santana


Ontem foi realizada a 3ª Edição das Noites Fora do Eixo em Feira de Santana. Este evento, que acontece em todo o Brasil, tem sido cada vez melhor em suas edições feirenses. A noite ontem estava bem movimentada, com muitos eventos acontecendo ao mesmo tempo, mas isso não impediu que o Botekin ficasse completamente lotado para conferir o show de estreia da banda feirense O Insuportável Hebert e sua Inigualável Banda e, é claro, de Damm e sua Formidável Família Musical.

O Botekin é um bar parceiro do Feira Coletivo, e tem sido o espaço para realizações de maioria de nossos eventos a mais de 2 anos. Ultimamente, porém, tem ocorrido algumas queixas de vizinhos próximo ao bar em relação ao barulho, e por conta disso, os eventos tem a obrigação de terminar mais cedo. Nesse sentido, para evitar maiores problemas com a vizinha do nosso querido Botekin, o evento foi reduzido a duas atrações supracitadas.

A Noite Fora do Eixo começou às 21:40. No palco recebemos mais uma banda que com certeza ainda vai dá muito que falar na cidade. O Insuportável Hebert (que de insuportável não tem nada) e Sua Inigualável Banda foram fantásticos, e realmente se trata de uma banda inigualável, pelo menos para Feira de Santana. Nunca tivemos em nossa cidade uma banda com a pegada sessentona da IHIB, influências diretas do folk-rock de gigantes como Bob Dylan e Neil Young. A banda fez uma apresentação que em nada deixou transparecer se tratar de uma banda estreante. Foi com muita segurança que Hebert e sua turma destilaram clássicos como “Sweet Jane”, do Velvet Underground, e “Like a Rolling Stone”, do Mr. Dylan. Além de Neil Young e Beatles. E nos apresentou também 5 canções autorais do mais alto bom gosto e que de cara já ficou na boca da galera. O Refrão “Meu carro é a álcool e gasolina” foi cantado em alto e bom som pela platéia, e no decorrer da festa, de vez enquanto, se cruzava com alguém cantarolando este pegajoso verso.

O Show da IHIB veio para provar que o início de uma carreira pode e deve ser feita com responsabilidade, esmero e com profissionalismo — e foi assim que o Insuportável Hebert e sua Inigualável Banda foram batizados no palco a Noite Fora do Eixo de Ontem. Show histórico. Quem não esteve lá, perdeu o nascimento de algo realmente promissor.

1 hora depois de Hebert e sua turma, a Damm e sua Formidável Família Musical já estavam se aprontando para começar o show.

A essa altura, o Botekin estava completamente lotado e logo começou a ficar impossível transitar nas proximidades do palco. A banda, que está em tour de divulgação de seu primeiro disco, pela terceira vez em Feira, provou que uma banda que circula é uma banda que tem público e que consegue disseminar com eficiência seu trabalho. No repertório todos os hits da banda: “Já não dá mais”, “Eu e você no jardim”, “Amar é”, “Bom dia amor”, “Senhorita”, “Roubaram as rosas”, foram sendo executadas com a participação em peso da platéia.

A banda se despediu do público e ficou aquele gostinho de “quero mais”. A platéia demorou a perceber que uma noite agradável como aquela tinha chegado ao fim. Uma pena, mas o mais legal é a certeza de que o Feira Coletivo está na ativa e outras noites Fora do Eixo virão, e outros eventos virão sempre com bandas que primam pelo trabalho autoral e que sabem que circular é preciso!

A Lista Amiga Está no ar!

As inscrições na Lista Amiga, estão encerradas! Obrigado a todos, nos vemos mais tarde na Noite Fora do Eixo!!

Oficinas de Criação Artísticas


Participe do encontro das artistas Lucimar Bello e Alice Miceli (em residência artística no Instituto Sacatar) com o Grupo GEMA. Lucimar Bello abordará o processo de criação, compartilhando exercícios que vem desenvolvendo para compor seu próprio percurso artístico. A artista reside atualmente em São Paulo é especialista em Desenho pela EBA/UFMG, tem mestrado e doutorado em Artes pela ECA/USP com bolsa sanduíche na Inglaterra e pós-doutorado pela PUC/SP.

Veja maiores informações sobre o trabalho de Lucimar Bello nos sites:lucimarbello.com.br; youtube.com/lucimarbello ; vimeo.com/lucimarbello

A carioca Alice Miceli trata, em sua obra, de temas diversos relacionados a fatos sociais e históricos, dialogando também com a ciência e a tecnologia, resultando em um trabalho poético que lida principalmente com a nossa memória. Têm desenvolvido projetos em vários locais do mundo, participando de diversos eventos, como no Camboja, na Alemanha, Finlândia, Indonésia, Estados Unidos, Bélgica, entre outros países. Já participou de exposições em Berlim, Mexico, São Paulo, Haarlem, Salvador, Rio de Janeiro, Sidney, Melbourne, Hasselt, Toronto, Kassel, Frankfurt, Karlsruhe, Dortmund, Hamburg, Barcelona, Helsinki, Nova York, tendo diversos prêmios em seu currículo. Alice vive atualmente na Alemanha. A criação de imagens específicas é o elemento essencial de sua produção, que se desenvolve sobretudo em vídeo e fotografia.


OBS:

Para que seu lugar seja reservado, confirme a sua presença retornando este e-mail com a afirmação: SIM


PALESTRA

O que: "Processos de criação - poéticas contemporâneas"

Artistas Convidadas: Lucimar Bello e Alice Miceli (em residência artística no Instituto Sacatar)

Datas: 14 de julho

Horário: quinta - das 15h às 18h

Local: Sala de Vídeo do CUCA

Aberto ao Público




Lunata traz suas fases para o palco feirense


Formada em Salvador no final de 2009 e já com um lançamento de estúdio no currículo, a banda Lunata é um verdadeiro mistério. A começar pelo nome sugestivo, que aponta para várias direções e não permite conclusões óbvias, e a se confirmar pela sonoridade eclética. Ouvindo as composições próprias divulgadas até o momento, fica a sensação de que cada pessoa pode avaliar de maneira diferente as inúmeras referências musicais e extramusicais notadas em todas elas.

Mas nada disso significa que esteja faltando identidade à Lunata. O EP Não Esquece o Guarda-Sol, lançado em março deste ano, tem a seu favor a produção certeira e sem excessos de Jorge Solovera. O equilíbrio segue através das quatro faixas do trabalho – “Nós”, “Rocco”, “De Manhã” e “Patternele” –, nas quais não se percebe nenhuma ânsia de soar experimental a qualquer custo. Sobretudo na cativante “Nós” e na lúgubre “Rocco”, a semelhança com outros grupos alternativos que mesclam o rock à MPB é notória, porém ambas se mantêm longe daquela pretensão importuna comum à maioria.

É com essa postura espontânea e cuidadosa, à beira de uma justa medida, que o quinteto assinala suas peculiaridades. Ju Moreira (voz), Gus Carvalho (guitarra e voz), Fred Luna (baixo), Filipe Costa (bateria) e Guga Guanaes (teclado) erram pouco, efetivamente, e acertam na alternância dos vocais, nas quebras rítmicas próximas do jazz, na suavidade pop e nas letras meditativas sobre individualidade, relações a dois e paisagens. Não há lugar para angústias exageradas, pois a música se caracteriza pela leveza constante.

Desconhecida de grande parte do público de Feira de Santana, a Lunata vem pela primeira vez à cidade como uma das bandas participantes da segunda edição do Under Tribus, que acontece no dia 24 de julho, a partir das 17h, no Botekim Tematic Bar. A maior expectativa, se não deve girar em torno de um show de rock típico, resume-se em conferir a qualidade dessa revelação baiana merecedora das atenções gerais de daqui por diante.


Texto por Ana Clara Teixeira – Feira Coletivo Cultural


Links da banda:


Myspace | Twitter | Facebook

Turnê da Banda Vandaluz passa por Feira em Julho


Em julho, a banda mineira de Patos de Minas, Vandaluz, fará sua primeira turnê de 2011, que iniciará em Minas Gerais e vai até o Nordeste, onde se apresentará em dez cidades.
A turnê intitulada Afago a Fogo, mostra uma banda marcada por seu show performático e com expressiva dramaticidade, mesclando atitudes críticas com a irreverência de “pop star”, segundo descreve a própria banda.

CONHEÇA A VANDALUZ




A música brasileira tem um jeito peculiar de ser recriada, parte do todo, se mistura na MPB, e acaba sendo sempre música brasileira. Sua arte mescla uma ginga sem igual, embebe-se na poesia, e liricamente se dispõe com humor e bravura para o dia-a-dia dos músicos e do público.
De forma diver¬tida e poética, Vandaluz nasceu de conteúdo livre e crítico, valores que a banda acredita serem indispensáveis para a satisfação de sua arte. Com uma maneira par¬ticular de ver a música brasileira, a banda conduz seu trabalho de apelo reflexivo na intenção de estimular a liberdade de fazer arte com alegria e com responsabili¬dade.
Seu show é uma performance, com figurinos variados beirando as artes dramáticas dos palcos, mesclando atitude crítica com irreverência pop star. O poeta Vane conduz os músicos irmãos que compartilham o palco itinerante pelo mundo como se fosse uma van de luminosidade.
No trajeto, gravações e mais de uma centena de shows referentes ao primeiro CD, gravado no final de 2007, intitulado “Ascende”. A partir de então Vandaluz levou sua luz coletiva a várias cidades do Brasil, em festivais como: Jambolada 2007 e 2008 (Uberlândia); Projeto Geringonça Sesc Tijuca (Rio de Janeiro – 2008); Demo Sul 2008 (Londrina), Festival integrado Grito Rock América do Sul.
Em 2010 lançou seu primeiro vídeo clipe, intitulado Lucidez, veiculado na programação da “MTV”. Recentemente ganhou o prêmio PNUD em parceria com a ONU “Valores Fora do Eixo”, com a música Teoria.
A banda é formada por: Lucas de Paula (guitarra e vocal), Vane Pimentel (voz e poemas), Alan Delay (baixo) e Ciro Nunes (bateria, flauta, samplers e vocal).
Uma grande sonoridade construída na poética dos profissionais da música apresentada em corpo teatral – seja o palco que for. Uma garantia de abstrair a mente, tirando os pés do chão, sem perder a sanidade.


E essa grande banda vai trazer a sua turnê "Afago a Fogo" para Feira de Santana.
O QUE? Under Tribus
QUANDO? 24/07
ONDE? Botekim Tematic Bar
HORÁRIO 17h

O Bando é do Povo e a Terra é de Lucas!!


No último domingo, dia 03 de julho, as ruas mais antigas da cidade foram novamente tomadas pelo desfile do Bando Anunciador da Festa de Sant”Ana. A manifestação cultural, comum até o final década de 80 quando foi extinta pela Igreja Católica, passou a ser resgatada pelo Centro Universitário de Cultura e Arte desde 2007 e, graças ao apoio incontestável da população feirense, vem se firmando novamente como tradição na Terra de Lucas.




Muito mais do que representar “a parte profana” dos festejos católicos em homenagem à padroeira da cidade, a nova versão da festa tornou-se um espaço político. O Bando reveste-se em um dos movimentos mais democráticos da cidade, dele participam trabalhadores e estudantes, militantes e políticos, artistas e mendigos... que, seguindo os afoxés, sambas de roda e as várias fanfarras aproveitam o espaço para protestar, expor suas idéias, angariar seus votos ou simplesmente dançar ao som do agogô, das antigas marchinhas e do mais puro samba da nossa zona rural.
Este ano, além dos já tradicionais bandos, como o de Lucas da Feira (e seu temido pó de carvão), a novidade foi a versão feirense da “Marcha das Vadias” representada aqui por dois bandos o “Bando das Vadias” e o “Bando da Energia”, que levaram às ruas um desabafo de mulheres (e homens!) cansados da opressão e discriminação sexual. Além disso, mereceram destaque a participação de militantes do MSTB (Movimento Sem Teto da Bahia) publicizando a falta de uma política séria para as áreas periféricas da cidade, e, a ausência do prefeito o que sem dúvida deixou o domingo ainda mais agradável.
Caminhar (ou seria dançar?) por entre os prédios históricos da cidade, ao lado de amigos e de figuras irreverentes fez valer a pena o pequeno esforço de levantar-se tão cedo numa fria manhã de domingo, manhã esta, que logo se aqueceu tamanha a alegria espalhada pelas ruas ensolaradas da nossa cidade.


Por: Luh Almeida
Foto: Pedro Henrique Caldas



DAMM E A FORMIDÁVEL FAMÍLIA MUSICAL EM FEIRA DE SANTANA


Com quase 10 anos de estrada Damm é um artista que vem construindo sua própria perspectiva da cena musical nacional.

Agora de volta a Bahia após enumeras apresentações nos principais festivais nacionais como o Festival de Verão (BA), Bota pra Tocar (RJ) e outros eventos pelo Brasil a fora, este artista chega despontando como a grande promessa para oxigenar a MPB.

Com uma sonoridade cosmopolita e um discurso abrangente, Damm é acompanhado por um coletivo de músicos batizado como a Formidável Família Musical, que dirigidos por ele mesmo, conta com instrumetistas de diversas regiões do Brasil, que o ajudam a transitar com canções e ritmos inusitados.

Seu trabalho foi premiado diversas vezes e nos ultimos 5 anos vem sendo citado pela critica especializada em publicações como a Revista Bravo!, Rolling Stones e Show Bizz como: "A esperança do Pop", ou ainda "Uma luz no túnel da nossa MPB".


Tem se apresentado junto a grandes artistas como Titãs, Jota Quest, Nando Reis, agraciando o público com sua música leve, alegre e acima de tudo criando um verdadeiro pano de fundo para tudo o que nos diz respeito, como o amor, o ego e a solidão da vida moderna.

Atualmente em Turnê de divulgação do seu novo CD, lançado pela gravadora Oversonic Music e distribuído pela Tratore.

Damm e sua Formidável Família Musical se apresenta em Feira no próximo dia 16 de Julho em mais uma edição da Noite Fora do Eixo no Botekin Tematic Bar.

Serviço:

Show: Noite Fora do Eixo

Bandas: Formidável Família Musical e Johnny Tonky e os Iguanas

Local: Botekin Tematic Bar - Av. João Durval , 2963

Ingressos à venda no local: R$ 10,00


Agenda –

14/07 - Vitória da Conquista – Noite fora do eixo

15/07 - Jequié

16/07 - Feira de Santana

24/07 – Salvador – Groove Bar


Damm e a Formidável Família Musical na web:

Facebook - http://www.facebook.com/dammtunes

Twitter - http://twitter.com/dammtunes

Site – www.dammtunes.com

Melody Box - http://www.melodybox.com.br/dammeffm



Música autoral autêntica e inusitada em Feira


Cordas afinadas vibrando no tom da diversidade. Esta é a marca registrada do Encontro de Compositores de Feira de Santana que realiza a sua segunda edição nesta quinta feira (07), a partir das 20:00h no Antiquário Pub.

Além dos compositores e anfitriões Paulo Costa e Rafael Damasceno, o público poderá se deleitar com o talento e a versatilidade do “cantador” Cescé Amorim, Pacheco, do Bando Farinha de Guerra e Arnaldo Almeida, que compõe o time do Encontro de Compositores realizado na capital. “Será uma noite de autêntica e inusitada música autoral”, afirma Damasceno, que também é um dos organizadores do evento.

O quê: Encontro de Compositores de Feira de Santana Quando: Quinta-feira, 07 de Julho, a partir das 20:00h. Onde: Antiquário Pub (Rua General Mendes Pereira , 202 - Feira de Santana – próximo ao Jaime do Pastel) Quanto: R$ 5 ingresso

Como foi o EletroAcústico? | 30 de Junho

Como já vinhamos divulgando Feira de santana está realmente mudando a sua cena cultural, com toda essa movimentação de artista da música, dança, teatro e artes visuais. Isso foi comprovado mais uma vez na noite de quinta-feira 30 de junho no Amélio amorim, onde aconteceu o projeto Eletro Acústico. Projeto esse que contou com o apoio e organização do Feira coletivo, ArtBrasil e a Trupe Mandhala Fusion.
Devemos salientar que esta iniciativa de promover cultura aqui na cidade está levando Feira de Santana a um momento ímpar na sua recente história cultural, fomentando assim a necessidade local por manifestação cultural. Levando em conta o público cada vez mais presente aos eventos deve se observar a real busca por opções de trabalhos com cultura envolvida.
Mas vamos ao que interessa. A noite de quinta-feira foi iniciada com a mostra dos trabalhos do artista Iuri Siqueira, que traz traços belíssimos em estilos de desenhos variados, trabalhos de muito bom gosto e com um esmero aparente, o público pôde conferir a riqueza de detalhes em suas obras expostas no foyer do centro de cultura.
Já passava das 20:00 quando a banda feirense CASA DE VENTO iniciava a sua apresentação com a música autoral chamada "Morangos mofados" o público que já estava acomodado no teatro conferiu o som empolgante das canções do grupo que vem fazendo um tipo de música com letras bem sinceras e com arranjos bem ao estilo rock inglês. Deixando os que alí estavam presentes à vontade para cantarolar a canção "O mistério das cinco estrelas". A banda apresentou uma música nova chamada " A outra volta" que é muito animada e soa bem aos ouvidos.
Logo após o show da CASA DE VENTO pudemos Mais uma vez conferir a banda soteropolitana NEOLOGIA que nos mostrou a sua maneira singular de fazer MPB, POP E ROCK, a banda que tem em seus pontos fortes o entrosamento de seus músicos, executou canções com alto nível guiados pela voz suave e encantadora de sua vocalista, trouxeram para os presentes músicas como "Não negue não" canção autoral que já é bastante conhecida do público, que aplaudiu o modo peculiar da banda na execução da música "carnavália" do "TRIBALISTAS".
A NEOLOGIA vem se destacando no cenário musical baiano com apresentações cada vez mais disputadas, devido a sua dedicação em fazer um som impecável.
Nos relógios marcavam 22:30 quando sobe ao palco do Amélio Amorin a banda gaúcha DIVINA VOX, e logo de cara mostrou ao que veio, um som marcado por riff´s de guitarra fortes e seguros do vocalista Jeferson Vargas. Som pesado e com letras marcantes a banda tem em seu estilo a atitude do rock´n roll e ponto. Apresentaram para o público feirense a sua música de trabalho "Válvula de escape" que está no seu álbum "Bipolar".
Nota-se várias influências ao ouvir o som da banda dentre elas destacam-se o estilo "Grunge" levando em conta também o vocalista que toca com sua guitarra canhota. Foram muito bem aceitos pelo público presente e mandaram a sua versão da música "Creep" do grupo inglês Radiohead. Banda muito coesa e intensa no palco, e terminaram por conquistar a platéia com o cover da música "No one knows" da banda Queens of the stone Age. Despediram-se de Feira de Santana com um gostinho de quero mais. Fiquem ligados aos próximos eventos do Feira coletivo, esse ano ainda vai rolar muita coia boa.

Por Filipe Figueiredo