Banda Casa de Vento segue para mais uma apresentação de o sucesso

Quase um ano depois daquela apresentação de estreia no Feira Noise Festival 2010, a Casa de Vento é uma banda pronta em todos os aspectos. Esse crescimento tão rápido se deu graças a uma série de fatores que inclui a qualidade das canções e a experiência de palco adquirida com um número de shows acima da média do cenário local. No entanto, o principal trunfo deve-se ao estilo indie rock bem delimitado, cujos caminhos os integrantes parecem dominar sem dificuldades.

É natural ouvir as músicas do EP homônimo recém-lançado e associá-las a uma tradição britânica que vai do pós-punk ao cenário atual, além de passar pelo britpop. De The Smiths a Coldplay, de Radiohead a Snow Patrol, as maiores influências são facilmente listadas e englobam também outros contextos, a partir de R.E.M., Los Hermanos e Violins, dentre outros nomes. Não por acaso os covers são parte fundamental das apresentações ao vivo, uma vez que a Casa de Vento não se preocupa em esconder suas fontes de inspiração.

Antes de procurar ser basicamente original, o grupo formado por Josh (vocal), Esteves (teclado), Filipe (baixo), Cordeiro (guitarra) e Marcelo Miranda (bateria) busca a eficiência no que se propõe. O resultado disso são as competentes “O Mistério das Cinco Estrelas”, “A Revolução dos Bichos” e “Esperando por Godot”, somente citando algumas composições capazes de agradar um público segmentado e preencher os requisitos de um bom rock alternativo cantado em português. O vocal impressiona pela maturidade e nunca deixa a desejar, sendo bastante adequado à linha em questão.

O fato é que quase nada há mais a ser dito sobre a Casa de Vento, a não ser destacar seus méritos já conhecidos por muitos. E no dia 24 de julho, a propósito, todos terão a chance de ver e rever esses músicos na segunda edição do Under Tribus, promovido pela Trupe Mandhala Fusion e pelo Feira Coletivo Cultural junto ao Circuito Fora do Eixo. O evento deve começar às 17h e será realizado no Botekim Tematic Bar, ainda com a presença das bandas Lunata (Salvador) e Vandaluz (Patos de Minas – MG).

Texto – Ana Clara Teixeira – Feira Coletivo Cultural



0 comentários:

Postar um comentário