Vandaluz mostra espetáculo único no Under Tribus


O grupo Vandaluz surgiu em Patos de Minas (MG) impulsionado pelo desejo de livre expressão, produzindo um rock performático repleto de psicodelia e influências setentistas da música popular brasileira. Desde quando foi lançado o primeiro álbum de estúdio, intitulado Ascende (2007), são muitas as participações em festivais importantes, como as edições do Grito Rock realizadas em Belo Horizonte, Uberlândia, Itabirito, Cuiabá, Brasília, Poços de Caldas, São Carlos e a própria cidade natal.
Em 2011, a banda dá continuidade ao ritmo de shows ao se lançar em uma turnê chamada “Afago a Fogo”. A excursão começa em território local e passa por dez municípios nordestinos – incluindo Feira de Santana, onde o espetáculo poético, musical e teatral promete fazer sucesso com seu estilo diversificado e de linguagens convergentes. Ouvir o que fica disponível no MySpace, por exemplo, certamente não é garantia de conhecer as dimensões da apresentação ao vivo.

Em meio à boa quantidade de canções autorais, “Lucidez” (para a qual foi gravado um videoclipe recentemente) e “Teoria” costumam atrair as plateias à proporção que representam a mistura dos mineiros. Algumas das características mais perceptíveis estão nos versos pouco usuais, vocais propositalmente desregrados, instrumental atualizado e ao mesmo tempo saudosista, ou seja, em processo de releitura.
Vandaluz é formado por Lucas de Paula (guitarra e vocal), Cassim Amperes (voz e gaita), Vane Pimentel (voz e poemas), Alan Delay (baixo) e Ciro Nunes (bateria, flauta, samplers e vocal). Sem abrir mão de uma atitude poética nos palcos, muito menos da musicalidade que independe do lado visual, o quinteto avesso a rótulos se apresenta na segunda edição do Under Tribus, marcada para o dia 24 de julho, às 17h, no Botekim Tematic Bar. Ao que tudo indica, será uma experiência única.

Texto por Ana Clara Teixeira – Feira Coletivo Cultural

0 comentários:

Postar um comentário